[Semana Temática] O Novelo do Verbo

Oi, oi pessoas!

Para fechar a semana com chave de ouro trouxe dois poemas do livro O Novelo do Verbo para vocês. Espero que gostem!!!



amor perdido

Continuar lendo

Anúncios

[Semana Temática] O Novelo do Verbo

Oi, oi pessoas! Como estão?!

Saiu uma matéria sobre o livro do autor Guerra no Diário da Região, bora conferir?!


Experiências pessoais e reflexões sobre o cotidiano foram as inspirações para o livro de poesias O Novelo do Verbo, que o jovem escritor Diego Guerra, de apenas 21 anos, lança nesta sexta-feira, 22, a partir das 20h, no Cafezine. A intenção da obra é levar o leitor a um passeio em que ele sentirá o desejo de desenrolar temas e questionamentos diários através da figura do eu lírico. “O título do livro nasceu porque ele propõe, até de forma estética, uma caminhada, um desenrolar desse novelo, desse barbante, por alguns temas principais na minha poesia. É como se ele fosse se desenrolar pelo eu poético, pela questão do amor, algo muito presente na poesia, mas também pela questão da natureza, da crítica à sociedade, e outros temas do dia a dia”, explica o autor.

O uso do eu lírico permite que Diego transite até entre assuntos que não fazem parte de sua experiência pessoal. Elas estão ali, sempre, como inspiração, mas o personagem pode ser inserido nos mais diversos lugares da sociedade. “Tudo que coloco ali pode ser algo que já vivi ou que tenho uma reflexão sobre. Fazer essa voz que não é minha, mas que foi criada por mim, vem de eu me colocar no lugar do próximo. Então, temas que visitei que foram de inspiração nasceram a partir da minha capacidade de refletir sobre o mundo, de me colocar no lugar do próximo, ver a partir de sua visão”, revela.

A intenção, segundo ele, não foi fazer algo alheio e desconexo com a realidade, mas refletir, pela visão da literatura, temáticas, polêmicas, questões tratadas diariamente pela não literatura. E devido à variedade temática, Diego optou por dividir o livro por capítulos, dando um caminho para o leitor, ao mesmo tempo em que usou estéticas diferentes, indo da poesia concreta à poesia em prosa e outros experimentos que o livro permitia. “Separei tudo de forma didática também, para que o leitor possa se enxergar nesse barbante e desvendá-lo.”

Construção

Com mais de 100 poemas, O Novelo do Verbo, impresso pela Editora Fragmentos, nasceu de um projeto totalmente diferente. O destino da produção de Diego era outro, a internet, especialmente sua página no Facebook (www.facebook.com/guerra.dg). É que suas criações eram um experimento utilizando as mídias sociais. “Essa experiência foi de começar a produzir poesias a poemas e inseri-los nas mídias sociais para ver como os leitores reagiriam. Fiz isso entre 2015 e 2016, mais ou menos um ano, e a resposta foi muito positiva”, conta.

Ao mesmo tempo, Diego também fez um experimento com o WhatsApp. Ele entrou em contato com grupos de literatura de todo o Brasil e perguntou quem tinha o interesse de receber seus textos. “Tinha gente do Acre ao Rio Grande do Sul, um grupo de aproximadamente 1 mil pessoas para os quais mandava os poemas. E foi muito bacana o retorno, tanto que peguei alguns dos comentário e coloquei na orelha do livro”, afirma.

Com a aprovação nas redes sociais, o autor começou a refletir sobre a possibilidade de montar um livro. Para isso, pegou os poemas publicados nas redes e escreveu mais uma série de poemas inéditos dedicados apenas à obra, que acabaram compondo grande parte do projeto. Para ele, que escreve desde a adolescência, a partir de uns 13 anos, as mídias sociais oferecem um engajamento muito forte, especialmente com a literatura.

“Para novos autores, as mídias sociais são uma excelente forma de engajamento social. Ajudam a ter contato com o mundo editoria, a ter feedback sobre o seu trabalho, a estar junto, mesmo que virtualmente, com outros escritores. É muito importante”, pondera. Mas, acima de qualquer coisa, as respostas do público que acompanha seu trabalho são fundamentais para ensinar o escritor a ouvir o outro, garante Diego.

Continuar lendo

[Semana Temática] O Novelo do Verbo

Oi, oi pessoas! Como estão?!

Durante essa semana ( de segunda à sexta-feira ) irei postar trechos, curiosidades, opiniões, etc do livro O Novelo do Verbo, do autor Guerra, parceiro aqui do blog. Espero que gostem!


WhatsApp Image 2017-09-26 at 13.19.53 (1)Sinopse:  “A obra poética O novelo do verbo é o resultado de uma escrita cotidiana, do
viver poetar, dia após dia. Neste livro, Guerra recolhe seus primeiros poemas e
apresenta-nos de modo muito agradável um novelo, conflituoso, emaranhado, não de
fios, mas de palavras, versos e estrofes, que ganham vida quando são acompanhadas por
você, leitor. Continuar lendo

[Resenha] Phalavraria | Adriana Campos Marinho

Olá pessoas!

Recebi, em parceria com a autora Adriana Campos Marinho, uma coletânea de poesias e hoje vou falar um pouquinho dele para vocês. Bem, me perdoem se a resenha não ficar tão boa, mas é porque eu nunca resenhei um livro de poesias antes.



parte Adriana Campos Marinho.jpgTítulo: Phalavraria

Autor(a): Adriana Campos Marinho

Páginas: 64

Classificação: design-sem-nome-1-e1501173919256.png

 



Bem, esse livro reúne mais de vinte poesias que tratam de diversos assuntos, como amor, amizade, solidão, tristeza, vida, desigualdade social, etc.

A escrita da autora é fluida e envolvente, sem nem mesmo perceber já estava lendo  a última poesia e fiquei com um gostinho de quero mais, olha que eu raramente leio poesias. Continuar lendo

[Terça da Poesia] Tabacaria

Tabacaria

Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo.

Janelas do meu quarto,
Do meu quarto de um dos milhões do mundo.
que ninguém sabe quem é
( E se soubessem quem é, o que saberiam?),
Dais para o mistério de uma rua cruzada constantemente por gente,
Para uma rua inacessível a todos os pensamentos,
Real, impossivelmente real, certa, desconhecidamente certa,
Com o mistério das coisas por baixo das pedras e dos seres,
Com a morte a por umidade nas paredes
e cabelos brancos nos homens, Continuar lendo

[Terça da Poesia] Annabel Lee

Annabel Lee

Foi há muitos e muitos anos já,
Num reino ao pé do mar.
Como sabeis todos, vivia lá
Aquela que eu soube amar;
E vivia sem outro pensamento
Que amar-me e eu a adorar.
Eu era criança e ela era criança,
Neste reino ao pé do mar;
Mas o nosso amor era mais que amor —
O meu e o dela a amar;
Um amor que os anjos do céu vieram
a ambos nós invejar. Continuar lendo

[Poema] O Corvo

Olá pessoas, bom dia!!!! Estou no segundo ano do ensino médio e estou estudando a segunda geração romântica. Na minha última aula desta matéria minha professora nos apresentou o poema “O Corvo”, do autor Edgar Allan Poe e eu gostei muito dele, então decidi compartilhá-lo com vocês. Para desencargo de consciência irei falar um pouquinho sobre a segunda geração romântica  ….. Na segunda geração do romantismo, também chamada de “mal do século”, os autores produziam textos literários carregados de pessimismo e negativismo. Os autores exploravam temas como morte, desilusões amorosas, doenças, etc. Em decorrência disso temos o surgimento da prosa gótica, na qual seus autores se inspiravam nas obras de Lord Byron, um poeta inglês.

Bom, foi isso, espero que tenham gostado! Beijos e até a próxima!!!!