[Terça da Poesia] Tabacaria

Tabacaria

Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo.

Janelas do meu quarto,
Do meu quarto de um dos milhões do mundo.
que ninguém sabe quem é
( E se soubessem quem é, o que saberiam?),
Dais para o mistério de uma rua cruzada constantemente por gente,
Para uma rua inacessível a todos os pensamentos,
Real, impossivelmente real, certa, desconhecidamente certa,
Com o mistério das coisas por baixo das pedras e dos seres,
Com a morte a por umidade nas paredes
e cabelos brancos nos homens, Continuar lendo

[Terça da Poesia] Annabel Lee

Annabel Lee

Foi há muitos e muitos anos já,
Num reino ao pé do mar.
Como sabeis todos, vivia lá
Aquela que eu soube amar;
E vivia sem outro pensamento
Que amar-me e eu a adorar.
Eu era criança e ela era criança,
Neste reino ao pé do mar;
Mas o nosso amor era mais que amor —
O meu e o dela a amar;
Um amor que os anjos do céu vieram
a ambos nós invejar. Continuar lendo

[Poema] O Corvo

Olá pessoas, bom dia!!!! Estou no segundo ano do ensino médio e estou estudando a segunda geração romântica. Na minha última aula desta matéria minha professora nos apresentou o poema “O Corvo”, do autor Edgar Allan Poe e eu gostei muito dele, então decidi compartilhá-lo com vocês. Para desencargo de consciência irei falar um pouquinho sobre a segunda geração romântica  ….. Na segunda geração do romantismo, também chamada de “mal do século”, os autores produziam textos literários carregados de pessimismo e negativismo. Os autores exploravam temas como morte, desilusões amorosas, doenças, etc. Em decorrência disso temos o surgimento da prosa gótica, na qual seus autores se inspiravam nas obras de Lord Byron, um poeta inglês.

Bom, foi isso, espero que tenham gostado! Beijos e até a próxima!!!!

Terça da Poesia

Olá pessoas! Para hoje eu trouxe algumas poesias, espero que gostem!!!



A última lágrima

Essa é a última lágrima
Que molha o meu travesseiro
Que borra a minha poesia
Que transmite sofrimento
Aos meus versos de amor não correspondido
A última lágrima que desabafa meu pranto
Que brota da minha aflição
Que,covardemente,se esconde por tras da minha dor
A última lágrima que meus olhos derramam
Pelo teu triste descaso
Pela tua tão amarga ignorância
A última lágrima de tantas que derramei
A mais dolorida de todas
Mas,a última
Depois dessa não haverá mais dúvida
Não haverá dor ou amargura
Não haverá outra
Não haverá sequer um resquício da paixão
Nenhum vestígio do amor
Que por tanto tempo ocultei
E aos poucos foi se devastando
Transformando-se em magoa
E se descarregando aos poucos
Para se resumir,na minha última lágrima. Continuar lendo

Terça da Poesia

Rosa Cara

Em uma estrada de terra guardei a memória

de uma bela rosa pomposa

que admirado me pus a olhar amorosamente

desde então guardo lhe na mente

linda rosa grandiloquente

a canção que por agora me toca o coração

só de lembrar tua incomparável beleza

é fruto da emoção tamanha

que de forma infinita me preenche a alma

cara rosa cara

de valor imenso de gratidão e amor

te dou o valor de minha vida.

 

_ Rodrigo Carrera

Pré venda: A Vida em Micropoesias _ Luanna Mello

Olá pessoas! Como estão? Espero que bem! Hoje eu lhes trouxe uma super indicação: o livro A
Vida em Micropoesias, da autora Luanna Mello.

O livro será lançado no Rio de Janeiro (ainda não sei o local), mas você não precisa esperar até seu lançamento para adquirir seu exemplar com essa capa linda (com azul e borboleta) e com quotes encantadores e reflexivos. Eu li apenas alguns trechos e estou, confesso, muito curiosa para ler o resto. O livro está em pré venda no site da editora Maresia!!! Clique aqui e confira.

17458001_1274700949252154_6848133232119121524_n

Título original: A vida em Micropoesias

Editora: Maresia

Páginas: 102

ISBN: 978-85-68838-12-9

Autora: Luanna Mello

Valor: 27,80

 

 

 

Sinopse: “Caro amante de poesia esse livro foi inscrito para você que assim como eu, adora poesias.

Que assim como eu, suspira e respira poesia.

Para você que vive poesia dia e noite, noite e dia.

Continuar lendo