Resenha do Anime: Bleach

Oi galerinha, sou apaixonada por animes e mangás, então hoje irei compartilhar com vocês um dos meus animes preferidos, Bleach, anime baseado no mangá… Então bora começar…

 

Autor (mangá): Tite Kubo
Direção: (anime): Noriyuki Abe
Episódios: 350
A História:

O anime é sobre as aventuras de Ichigo Kurosaki um garoto de 15 anos que tem uma estranha capacidade de ver, tocar e falar com espíritos de pessoas mortas.

Rukia Kuchiki uma Shinigami toma conhecimento dos poderes de Ichigo, indo atrás dele para investigar, quando acaba em uma luta com um Hollow que foi atraído pelo forte poder espiritual de Ichigo, antes de ser derrotada pela criatura, Rukia passa seus poderes a Ichigo, o qual acaba se tornando um substituto de Shinigami (“Deus da morte” ou “espírito da morte”). Após derrotar o Hollow, ele ingressa em uma jornada para proteger os humanos e os espíritos da ameaça dos Hollows e guiando almas ao mundo pós-vida, Soul Society.

 

Opinião:

Neste anime encontrados os mais variados personagens,  temos os  fortes, engraçados, estranhos, misteriosos, amigáveis, malignos, bons, imperfeitos, loucos e de todos os tipos e formas. Uns se gosta menos, outros conquista logo de cara ou então vai te conquistando aos poucos.

É um anime de ação e aventura. Que mostra o que alguém pode fazer por um amigo. Também há vingança, o poder de uma promessa. Seu enredo prende bastante o espectadores, as lutas são bem elaboradas e emocionantes com muita destruição e poder.

 

 

Então é isso galerinha, beijos e até a próxima!

Anúncios

Resenha do Filme: Viva: A Vida é uma Festa

Oi, galerinha! Hoje trouxe para vocês um filme que apesar de ser voltado para o público infantil, me emocionou muito. Sou muito apaixonada pela cultura de outros países, em especial á do  México; quando vi o trailer desse filme me apaixonei e fui logo assistir, e não me arrependo de forma alguma de ter ido, então sem mais vamos lá…
 
Dirigido por: Lee Unkrich, Adrian Molina
Gênero: Animação, Aventura, Fantasia, Família (105 min – 2D e 3D)
Classificação Indicativa: Livre
Lançamento: 04 de janeiro de 2018 

Disney Pixar

 

Sinopse:

 Apesar de suas gerações passadas abominaram música, Miguel Rivera sonha em se tornar um músico de sucesso como seu ídolo, Ernesto de la Cruz. Desesperado para provar seu talento em meio à sua família de sapateiros, Miguel acaba por visitar o colorido Mundo dos Mortos após uma série de acontecimentos misteriosos. Pelo caminho ele encontra Hector e, juntos, iniciam uma jornada extraordinária para revelar a verdadeira história por trás de tudo isso.

 

 

A História:

Miguel Rivera faz parte de uma família de sapateiros mexicanos e essa função acompanha os membros da família há muitas gerações. Já com 12 anos Miguel ajudava no lar, engraxando os sapatos dos clientes enquanto ainda não era chamado para entrar de cabeça nos negócios da família. Mas, na verdade, Miguel guardava uma paixão secreta: a música! Justamente ela, que era odiada e banida por seus familiares. Eles tinham seus motivos: um músico fez parte da família e abandonou sua esposa e sua filha para seguir à estrada em busca do estrelato.

 

 

 

Opinião:

Para quem ainda não sabe, ” El día de los muertos”, é um feriado muito importante no México. Eles festejam acreditando que os mortos visitam os seus familiares neste dia, fazem  a comida preferidas dos seus entes queridos, com festas, músicas e usam flores para fazerem o caminho para os mortos.

O filme resgata importantes valores familiares; a música do filme foi um “personagem” crucial durante a trama; todos os personagens foram maravilhosamente bem construídos, a cada cena um ensinamento e uma descoberta.

Viva: A Vida é uma Festa, é aquele tipo de filme que te prende, e que você levará para sempre em sua vida.

 

 

 

Então é isso galerinha. até a próxima e beijinhos!!!

 

 

Resenha do livro: Tartarugas Até Lá Embaixo

Estava muito ansiosa para ler esse livro, primeiramente, porque  essa obra maravilhosa é do meu amado John Green; e outra pois no livro relata a história de Aza Holmes, que assim como eu também possui o TOC. Então sem mais enrolação vamos lá.

 

Livro: Tartarugas Até Lá Embaixo
Autor(a): John Green
Editora: Intrínseca
Páginas: 256

 

Sinopse:

Depois de seis anos, milhões de livros vendidos, dois filmes de sucesso e uma legião de fãs apaixonados ao redor do mundo, John Green, autor do inesquecível A culpa é das estrelas, lança o mais pessoal de todos os seus romances: Tartarugas até lá embaixo. A história acompanha a jornada de Aza Holmes, uma menina de 16 anos que sai em busca de um bilionário misteriosamente desaparecido – quem encontrá-lo receberá uma polpuda recompensa em dinheiro – enquanto lida com o transtorno obsessivo-compulsivo (TOC). Repleto de referências da vida do autor – entre elas, a tão marcada paixão pela cultura pop e o TOC, transtorno mental que o afeta desde a infância -, Tartarugas até lá embaixo tem tudo o que fez de John Green um dos mais queridos autores contemporâneos. Um livro incrível, recheado de frases sublinháveis, que fala de amizades duradouras e reencontros inesperados, fan-fics de Star Wars e – por que não? – peculiares répteis neozelandeses.

 

 

A História: 

Na obra, acompanhamos Aza Holmes, uma jovem de 16 anos que resolve entrar numa busca, junto com a sua melhor amiga, Daisy, por um bilionário desaparecido, pai de um amigo de infância. Tudo isso por uma boa recompensa em dinheiro. O problema é que, em meio à aventura, Aza precisa lidar com o próprio transtorno obsessivo-compulsivo (TOC) e os dilemas da juventude.

Para tratar sua ansiedade e os pensamentos indesejados, Aza mantém desde a infância consultas com uma psiquiatra e um calo aberto em seu dedo da mão. Abrir constantemente essa ferida é como uma válvula de escape, mostra que ela é real, que pensa por si só, e que as bactérias que habitam seu corpo não mandam ou pensam por ela. Mas abrir esse calo ativa outro gatilho da nossa protagonista, a possibilidade de infecção que a induziria a morte. Sendo assim Aza vive uma rotina angustiante entre tentar manter longe pensamentos que a fazem fugir da realidade e permanecer na realidade, mesmo quando o TOC parece comandar sua vida.

 

Opinião:

Eu sou cúmplice para falar das obras de John Green, mas ” Tartarugas Até Lá Embaixo”, certamente foi a que mais me chamou a atenção. A escrita é bem leve e suave, é uma mistura de comédia, drama  e não poderia faltar o romance. A narração transmite de forma impecável o que Aza sente, seus medos, suas angustias e todas as coisas horríveis que o TOC  faz com uma pessoa.

Amei a ideia do autor escrever sobre o TOC, pois muitos são leigos quando o assunto é relacionado à doenças mentais. John Green que também vive com TOC, mostra de forma clara e objetiva como é a mente de um portador da doença e o quanto tais obsessões e compulsões podem agravar e muito a vida de quem precisa lidar com isso diariamente. É como estar preso em um corpo que não respeita seus próprios desejos e pensamentos. 

 

 

Então galerinha, boa leitura, beijinhos…

Resenha do Livro: O Iluminado

Título original: The Shining
Autor: Stephen King
Editora: Suma de Letras
Número de páginas: 463
Ano: 2012

 

Sinopse:

Jack Torrence consegue um emprego de zelador em um velho hotel, e acha que será a solução dos problemas de sua família: não vão mais passar por dificuldades, sua esposa não vai mais sofrer e seu filho, Danny, vai poder ter ar puro para se livrar de estranhas convulsões. Mas as coisas não são tão perfeitas como parecem: existem forças malignas rondando os antigos corredores. O hotel é uma chaga aberta de ressentimento e desejo de vingança, e, inevitavelmente, um embate entre o bem e o mal terá de ser travado.

 

 

A História:

O livro conta a história da família Torrance. Jack é um pai amoroso, mas com um passado sombrio, em virtude de seu vício na bebida. Apesar de restituído, após um lamentável acidente há dois anos em que feriu alguém que amava, acaba perdendo a paciência com um aluno e o agride fisicamente, enquanto este cortava os pneus do carro de Jack. A agressão lhe custou o emprego como professor. Já fazia algum tempo que havia vendido alguns contos para uma revista, e agora estava travado no meio de uma peça teatral que não conseguia terminar de escrever. Ao recorrer ao amigo Al Shocley, recebe a oportunidade de trabalhar uma temporada de inverno como zelador do Hotel Overlock. Jack aceita, levando Wendy, sua esposa, e Dany, seu filho, para um hotel que ficaria ilhado no meio das nevascas da estação. Ele chega ao local no último dia de trabalho de todos os funcionários. O gerente, Sr. Ulman, faz-lhe inúmeras recomendações; enquanto os últimos funcionários vão saindo do local. Um dos últimos funcionários, o Sr. Hallorann, cozinheiro, leva Danny num canto e lhe diz que ele é um iluminado. Os dois conversam praticamente apenas com o pensamento. Hallorann lhe diz que tomasse cuidado com certas coisas do Hotel, pois algumas coisas estavam vivas, porém ele não acreditava que pudessem feri-lo. Todos vão embora e é aí que o  começa, os sonhos, visões, lembranças e fragmentos do passado. A condensação do terror nas mãos de Stephen King.

 

 

Opinião:

King é, realmente, um autor genial. Ele não só cria uma atmosfera tensa, que nos deixa à flor da pele, como também nos faz sentir o mesmo medo que o próprio personagem está sentindo.

A construção dos personagens obriga o envolvimento emocional do leitor, que é conduzido página a página pelo suspense do que vai acontecer, pela magia fantástica do dom de Danny, pela nostalgia das festas do hotel, pelas inúmeras referências literárias. Mesmo os personagens sendo um tanto odiosos (às vezes dá vontade de socar a cara deles), a empatia surge mesmo assim. Gosto quando o autor consegue fazer a gente entender o lado de pessoas atormentadas, que têm seu lado ruim, mas que também se esforçam para conseguir lidar com seus problemas.

O livro foi levado às telonas por Stanley Kubrick em 1980 e esse foi o fato que mais me despertou o interesse. O filme é muito bom e é em parte o responsável por fazer o escritor alcançar um novo patamar como personalidade conhecida. Além disso, é abertamente – de acordo com o autor – a pior adaptação de uma obra sua.

O livro diferentemente do filme amarra todas as pontas e explica cada acontecimento de forma magistral, o que torna o título de clássico algo merecido.

 

 

 

Então é isso galerinha! Boa leitura! Beijinhos!

 

 

 

Poema

Oi galerinha, que alegria estar novamente aqui com vocês! Primeiramente gostaria de me desculpar pela minha enorme ausência, estava passando por umas “tretas”,( quem nunca); mas para a nossa alegria tudo já passou!!!

Portanto, já que é final do ano de 2017, já esta se despedindo de cada um de nós, resolvi compartilhar com vocês nesta noite, uma poesia que encontrei navegando pela internet, espero que curtem assim como eu curti…

 

 

Todo o dia é ano novo.
Todo dia é ano novo
Entre a lua e as estrelas
num sorriso de criança
no canto dos passarinhos
num olhar, numa esperança…
Todo dia é ano novo
na harmonia das cores
na natureza esquecida
na fresca aragem da brisa
na própria essência da vida.
Todo dia é ano novo
no regato cristalino
pequeno servo do mar
nas ondas lavando as praias
na clara luz do luar…
Todo dia é ano novo
na escuridão do infinito
todo ponteado de estrelas
na amplidão do universo
no simples prazer de vê-las
nos segredos desta vida
no germinar da semente.
Todo dia é ano novo
nos movimentos da Terra
que gira incessantemente.
Todo dia é ano novo
no orvalho sobre a relva
na passarela que encanta
no cheiro que vem da terra
e no sol que se levanta.
Todo dia é ano novo
nas flores que desabrocham
perfumando a atmosfera
nas folhas novas que brotam
anunciando a primavera.
Você é capaz, é paz 
É esperança
Todo dia é ano novo
no colorido mais bel
odos olhos dos filhos seus…
Você é paz, é amora alegria de Deus.
Não há vida sem volta
e não há volta sem vida
no ciclo da natureza
neste ir e vir constante
No broto que se renova
na vida que segue adiante
em quem semeia bondade
em quem ajuda o irmão
colhendo felicidade
cumprindo a sua missão.
Todo dia é ano novo…portanto…feliz ano novo todo dia!

(Desconhecido)

 

 

Então é isso galerinha, desejo que não seja apenas mais um “Ano Novo” em sua vida, desejo que seja um novo VOCÊ neste ano!!! Beijinhos e boas festas…

 

Resenha do Livro: Prisioneiro B-3087

Páginas: 179

Autora:  Alan Gratz

Editora: Editora Ática

Ano: 2013

Titulo original:  Prisoner B-3087 Tradutor: Antony Cleaver

 

 

Sinopse:

Este livro é baseado na vida de Ruth e Jack Gruener. Em 1939, aos 10 anos, Yanek Gruener assiste à invasão da Polônia pelo exército alemão, estopim da Segunda Guerra Mundial. Do início ao fim do conflito, o garoto passa por dez campos de concentração e enfrenta viagens em vagões de gado. Faminto, sujo e subjugado, ele é um exemplo de perseverança. Sua jornada é contada neste tocante relato.

 

 

 

A História:

O livro é baseado na vida de Jack Gruener, judeu, que assim como outros milhares, sofreu nas mãos do exército alemão.

Em 1939, aos 10 anos, Yanek Gruener testemunha o acontecimento que mudaria sua vida para sempre: a invasão da Polônia pelo exército alemão, estopim da Segunda Guerra Mundial. O menino é então aprisionado em seu bairro, agora transformado num gueto judeu, cercado por muros intransponíveis. Mas esses foram os melhores dias…

Do início da guerra até seu fim em 1945, Yanek viveu o horror do Holocausto. Passou por dez campos de concentração diferentes, enfrentou viagens em vagões de transportes de gado em condições chocantes e duas vezes marchou por estradas intermináveis.

 

 

Opinião:

Narrada em primeira pessoa a obra é separada por capítulos intitulados de acordo com o nome dos campos de concentração pelos quais o personagem passa.

Muito mais que uma simples e triste biografia, Alan Gratz mostra um exemplo de perseverança e vontade de viver, que chega a ser revoltante e emocionante a cada virada de página, faz com que os leitores parem e pensem em cada atitude que tomam em suas vidas. A leitura  é bem simples e leve, de fácil compreensão.

Torcer para o bem do protagonista é algo comum, porém nesse livro isso acaba sendo ainda mais intenso. É possível sentir o que o garoto está sentindo, apenas pelo modo que a história é contada.

 

 

 

Então é isso galerinha! Boa leitura, até a próxima! Beijos!

Resenha do Livro: Mr. Mercedes

Livro: Mr. Mercedes
Autor: Stephen King
Editora: Suma de Letras
Páginas: 393
ISBN: 978-85-5651-002-0
Editora: Suma de Letras
Sinopse:
Nas frigidas madrugadas, em uma angustiante cidade do Centro-Oeste, centenas de pessoas desempregadas estão na fila para uma vaga numa feira de empregos. Sem qualquer aviso um motorista solitário irrompe no meio da multidão em um Mercedes roubado, atropelando os inocentes, dando ré e voltando a atropelá-los. Oito pessoas são mortas, quinze feridos.
Em outra parte da cidade, meses mais tarde, um policial aposentado chamado Bill Hodges é ainda assombrado por um crime sem solução. Quando ele recebe uma carta enlouquecida de alguém que se auto-identifica como privilegiado e ameaça um ataque ainda mais diabólico, Hodges acorda de sua deprimente e vaga aposentadoria, empenhado em evitar outra tragédia.
Brady Hartfield vive com sua mãe alcoólatra na casa onde ele nasceu. Ele adorou a sensação de morte sob as rodas da Mercedes, e ele quer aquela corrida de novo. Apenas Bill Hodges, com um par de aliados altamente improváveis, pode prender o assassino antes que ele ataque novamente. E eles não têm tempo a perder, porque na próxima missão de Brady, se for bem sucedido, vai matar ou mutilar milhares.
Mr. Mercedes é uma guerra entre o bem e o mau, do mestre do suspense, cuja visão sobre a mente deste obcecado assassino insano é arrepiante e inesquecível.
A História:
Bill Hodges se aposentou da polícia a alguns meses e deixou alguns casos não solucionados, entre eles o caso do Mr. Mercedes: um maluco que roubou uma Mercedes e matou algumas pessoas atropeladas enquanto elas estavam esperando numa fila uma oportunidade numa feira de empregos. O crime foi perfeito, o carro não era do assassino, ele não deixou nenhuma amostra de DNA, ninguém viu o rosto dele porque ele usava uma máscara.
Os seis meses que vieram logo após a aposentadoria de Hodges, foram longos e miseráveis. O ex-detetive passava a maior parte do tempo assistindo a programas de TV ruins e com sua velha arma por perto caso a ideia de suicídio resolvesse se concretizar em algum momento. Até que um dia, algo inusitado aparece em sua correspondência: uma carta. Fora enviada pelo próprio Assassino do Mercedes. O tom da carta é provocativo, insano e instigante.
A carta reacende a vontade de viver de Hodges, ele consegue  vê uma saída da monotonia da sua vida e algo mais interessante para fazer além de brincar com seu antigo revólver.
Opinião:
Pode-se dizer que esse é um thriller bem envolvente, no melhor estilo Stephen King; possui uma escrita detalhada e elegante, aprofundando-se com delicadeza nas águas mais escuras. Ou seja, ele consegue transmitir coisas terríveis com sutileza e frieza – o que só ajuda a leitura a se tornar mais fluida, dinâmica e sombria. Você passa por uma história dramática, com uma leve pitada de romance sensual e com um final aterrorizante
Mr. Mercedes faz parte de uma trilogia, mas mesmo depois de ler esse primeiro volume, não tenho a mínima ideia de como será o segundo. O livro acaba com uma espécie de fechamento, mas que pode ter vazão para continuações.
Então é isso galerinha! Boa leitura e até a Próxima! Beijos!