Resenha do livro: Ponte Para Terabítia

Oi amigos, hoje trouxe para vocês, uma obra com uma história meiga e sensível. Na verdade eu já tinha visto o filme e foi um dos filmes que marcaram minha infância. Então vamos lá!!!

 

Livro: Ponte para Terabítia
Autora: Katherine Paterson
Tradução: Ana Maria Machado
Lançamento: 1977 (nos EUA); 1999 (no Brasil)
Editora: Salamandra (Moderna)
Páginas: 160

 

Sinopse:

Jesse Aarons tem 10 anos, acaba de ingressar na 5ª série e o que mais deseja na vida é ser o campeão de corrida da escola. Bem agora, quando tem todas as chances de ganhar, tinha de aparecer Leslie Burke, uma novata na vila – e, ainda por cima, menina! – para desafiá-lo e, pior que isso, ganhar dele?

Mas Jess não sabe que Leslie vai lhe propor desafios muito maiores que ganhar ou perder uma corrida. Pouco a pouco, ele vai se afeiçoando a essa menina, tão diferente das outras de sua comunidade rural. Até que, juntos, os dois criam um reino mágico e solene, chamado Terabítia, onde governam soberanos, protegidos das ameaças e zombarias da vida cotidiana.

 

 

A História:

 O livro “Ponte para Terabítia” (Bridge to Terabithia) foi publicado pela primeira vez em 1977 nos Estados Unidos é uma obra de literatura infanto-juvenil escrita por Katherine Paterson – que nasceu na China em 1932 – e conta a história de Jess Aarons e sua amiga Leslie Burke.

        Jess é um garoto de dez anos de idade, vive no interior dos EUA e tem como principal objetivo ser o garoto mais veloz da escola e da quinta série, mas vê seus planos naufragarem após a chegada de Leslie, uma garota de, também, dez anos, que o vence nas corridas, bem como a todos os outros meninos da escola.

        De principio Jess não gosta da idéia de Leslie seguindo seus passos, pois ele não queria ser amigo de uma garota e também por ela o ter ganhado na corrida. Mas aos poucos a amizade vai nascendo, até porque, apesar de conviver com suas irmãs e as considerar chatas, Leslie era diferente de todas as outras garotas.

        Com a amizade fixada os dois através de sua imaginação criam Terabítia, um lugar onde é só deles, a única coisa que eles precisam fazer para chegar em Terabítia é atravessar um pequeno riacho dependurados numa corda. Em Terabítia Leslie e Jess são rainha e rei, respectivamente.

 

 

Opinião:

Ao terminar de ler o livro não me surpreendi pelo fato de que a autora ganhou o a Medalha Jhon Newbery em 1978 por esta obra, também não é surpresa que o livro tenha ganhado adaptações para a TV (1985) e cinema (2007) já que conta uma história tão linda.

 Realmente esse livro tem uma mensagem muito boa e apesar de um final um tanto quanto triste, mostra que a vida nem sempre é como se quer, mas que tudo o que acontece nela há um motivo e de qualquer situação se pode tirar um aprendizado, muitas vezes deixamos de sonhar e acreditar no nossos sonhos, e esta obra nos mostra a força que temos para realizarmos o que quisermos.

 

Então é isso galera, até a próxima, boa leitura e beijos!

Anúncios

Resenha do Anime: Sword Art Online

 

Oi amigos, hoje resolvi compartilhar com vocês, um dos melhores animes que já assisti, cheio de aventuras e um toque de romance vamos lá…

FICHA TÉCNICA

Título alternativo
Nome original: Sword Art Online
Tipo: TV
Lançamento: 08/07/2012 – 07/10/12
Classificação: 13+
Gêneros: Ação, aventura, fantasia, game, romance.
Estúdio: A-1 Pictures
Produtores: Aniplex, Genco, DAX Production, ASCII Media Works.
Abertura: Crossing field.
Encerramento: Crossing field; Yume sekai

 

Sinopse:

Um jovem chamado Kazuto ‘Kirito’ Kirigaya entra em um MMORPG de realidade virtual, um mundo online chamado de Sword Art Online. E não tem como escapar deste mundo a menos que o jogo seja completado. No entanto, um ‘game over’ resulta na morte do jogador.

 

A História:

No ano de 2022, Kayaba Akihiko, invetor de NerveGear, um equipamento que permite o usuário ver, ouvir, sentir e locomover-se nos jogos, tendo esses sinais mandados diretamente para o cérebro, sem precisar sair do lugar no mundo real, cria um jogo com um potencial incrível. Sword Art Online. Ansiosos, os jogadores fazem login sem saber o que os aguardam.
Tudo ia bem até que os jogadores tentam deslogar e veem que não existe um botão para isso. Eles pensaram, no primeiro momento, que tudo não passava de um bug, mas quando eles são teletransportados para a cidade inicial, Akihiko aparece e explica que ninguém poderá sair do jogo até os cem níveis serem completados. E mais, quem tiver o NerveGear retirado no mundo real, morrerá, e quem morrer no jogo, morrerá também na vida real.

 

Opinião:

O anime Sword Art Online encaixa-se nos gêneros Drama e Romance, ao mesmo passo que entrega uma Animação de muita qualidade, bem como, trilhas sonoras muito interessantes. Alguns telespectadores, isso me inclui, gostam bastante do anime, porém outros criticam a falta de mais lutas contra os mobs e os chefes (o que eu também concordo), como também o romance (o que não concordo, gostei de como o romance foi abordado). Outro ponto interessante, principalmente para aqueles que adoram MMORPG, é o fato do anime utilizar vários termos relacionados à esse universo, como por exemplo: experiência, party´s, guildas, dungeons, NPC, boss, entre tantos outros. A trilha sonora é maravilhosa, e isso conta bastante em um anime.

Recomendo muito esse anime, não é perfeito mas certamente vocês irão gostar…!!!

 

Então é isso meus amigos, até a próxima, beijos…

 

Resenha do Filme: Mama

Olá amigos, já faz alguns dias que queria compartilhar com vocês um filme incrível que acabei de assistir _ Mama. Todos já sabem que eu amo tudo que é relacionado ao  terror, então vamos começar…

 

Título: Mama

Título original: Mamá

Lançamento: 2013 (EUA)

Direção: Andres Muschietti

Elenco: Jessica Chastain, Nikolaj Coster-Waldau, Megan Charpentier, Isabelle Nelisse, Daniel Kash.

Duração: 100 min.

Gênero: Terror, Suspense.

 

Sinopse:

Quando o pai de Victoria e Lilly mata a mãe das garotas, as crianças fogem assustadas para uma floresta. Durante cinco anos, ninguém tem notícia do paradeiro delas, até o dia em que elas reaparecerem, sem explicarem como sobreviveram sozinhas. Os tios das duas, Lucas (Nikolaj Coster-Waldau) e Annabel (Jessica Chastain) adotam Victoria e Lilly e tentam dar uma vida tranquila às duas, mas logo eles percebem que existe algo errado. As duas conversam frequentemente com uma entidade invisível, que chamam de “Mama”. Lucas e Annabel não sabem se acreditam nas meninas, ou se devem culpá-las pelos estranhos acontecimentos na casa.

 

 

A História:

O filme basicamente começa com um cara maluco que leva as filhas para o meio de uma montanha, ele leva as filhas na pressa e parece desesperado, o carro dele acaba derrapando e batendo, o pai e as duas filhas sobrevivem, ele as leva para uma cabana, é quando a gente descobre que ele tinha matado a esposa e agora vai matar as filhas e se matar depois, uma das filhas tem 1 ano de idade, essa não entende nada, a mais velha ela entende melhor as coisas, o pai antes de mata-la tira o óculos dela para ela não ver o que ele fará mas antes que ele a mate algo sai das sombras e mata o pai.

As crianças ficam desaparecidas por muito tempo, seu tio Lucas nunca deixou de procura-las, 5 anos depois de tudo o que aconteceu elas são encontradas, porém elas não estão muito normais e muito menos sozinhas.

 

Opinião:

O bacana desse filme é que ele tem uma história, uma história legal que te faz pensar que realmente pode ter acontecido.

O enredo é interessante, bem trabalhado, elaborado. Os personagens interpretam bem, principalmente a pequena Lily, que mesmo com a pouca idade consegue nos passar tremenda realidade em seu personagem que nos convence de longe. Além disso, o desfecho foi super condizente com o desenrolar da história. Foi fiel ao que estava sendo mostrado pouco a pouco em cada parte do filme.

Mama, a entidade que assombra o filme é  um espírito digno de pena, possui uma história um tanto triste que faz com que se tenha pena dela.

Uma das únicas coisas que me incomodou nesta obra foi a aparição da bendita assombração. Filme para mim, pra ser de terror de verdade, que me dê medo, tem que ser de espíritos, fantasmas e afins. O que me dá frio na espinha é aquela apreensão de não saber com o que se está lidando, de não ver o inimigo e nunca saber onde ele está. Sendo assim, Mama tinha tudo para me ganhar cem por cento. Mas acabou estragando tudo ao revelar não uma, mas diversas vezes, nítida e claramente, a imagem da fantasma. Uma aparição rápida, meio de supetão, é até legal para dar aquele susto instantâneo e depois passar. Tudo, então, some e já não vemos mais o tal monstro em questão. Mas neste filme a bendita fica aparecendo em certas cenas como se fosse um personagem como outro qualquer. Chega uma hora que já até nos acostumamos com ela e não levamos mais sustos quando há alguma aparição da “moça”.

Contudo o filme é fiel a história do começo ao fim, e o final é surpreendente, super  recomendo!

 

 

Então é isso amigos, beijos e até a próxima!

 

Resenha do Livro: O Bazar dos Sonhos Ruins

Olá meus amigos, tudo bem? Espero que sim! 
E mais uma vez estou aqui para falar sobre Stephen King, de quem eu sou declaradamente fã e leitor assíduo. O livro da vez é “O Bazar dos Sonhos Ruins”, e eu já vou começar escrevendo aqui que este livro foi realmente uma fábrica de pesadelos no meu caso. Não que eu me assuste fácil, depois de uma parte da vida lendo livros de terror/horror você acaba se acostumando com algumas bizarrices, mas eu senti o impacto dessa leitura. Então vamos lá.
Livro: O Bazar dos Sonhos Ruins
Título Original: The Bazaar of Bad Dreams
Autor: Stephen King
Editora: Suma de Letras
Páginas: 527
ISBN: 978-85-5651-030-3
Sinopse:
Mestre também das histórias curtas, o que Stephen King oferece neste livro é uma coleção generosa de contos – muitos deles inéditos no Brasil. E, antes de cada história, o autor faz pequenos comentários autobiográficos, revelando quando, onde, por que e como veio a escrever (ou reescrever) cada uma delas. Temas eletrizantes interligam os contos – moralidade, vida após a morte, culpa, os erros que consertaríamos se pudéssemos voltar no tempo… Alguns são protagonizados por personagens no fim da vida, relembrando seus crimes e pecados. Outros falam de pessoas descobrindo superpoderes – como o colunista, em “Obituários”, que consegue matar pessoas ao escrever sobre  morte delas; ou o velho juiz em “A duna”, que ainda criança descobre uma pequena ilha onde nomes surgem misteriosamente na areia – nome de pessoas que logo morrem em acidentes bizarros. Incríveis, sinistros e completamente envolventes, essas histórias formam uma das melhores obras do mestre do terror, um presente para seus Leitores Fiéis.
O Bazar dos Sonhos Ruins traz uma coletânea de contos do autor em uma diversidade imensa de temas que te prende do começo ao fim o interessante nesse livro é que diferente dos que estou habituada onde ele nos conta uma história imensa ele conduz contos minuciosamente trabalhados detalhando com riqueza sua escrita, mesmo que curta e rápida. Ao todo temos vinte contos e claro acabei amando mais uns que outros, mas no geral todos me agradaram bastante. Cada virada de página, cada conto, traz uma novidade diferente e o mais interessante é o começo de cada conto, onde o mestre escreve uma pequena biografia contando como cada conto surgiu.
É possível observar diversas características do processo criativo dele, prato cheio pra quem é fã e adora imaginar como o escritor chegou a uma determinada ideia, como ele inventou aquela história toda. Antes de cada conto, existe uma breve introdução explicando o processo criativo do autor e é fantástico. Só isso já teria valido a experiência de leitura desse livro, não fosse a riqueza dos contos em si. O legal é que toda aquela reflexão e digestão que temos ao final de um livro que nos emociona ou que de alguma forma nos impacta, acabamos tendo a cada 30 minutos de leitura, ao final de cada conto. Não vou comentar sobre todos eles para não ficar muito longo, mas vou comentar alguns que me impressionaram pela qualidade dos contos:
  •  Batman e Robin tem uma discussão – Nem todo conto desse livro tem elementos sobrenaturais, esse é um desses casos. Essa é uma história tocante sobre pais e filhos e como nossos heróis de infância tem seus defeitos e qualidades. Os eventos desse conto poderiam acontecer com qualquer pessoa, inclusive você.
  • UR – No princípio achei que esse conto foi feito exclusivamente para promover o leitor de ebooks da Amazon, acho até que foi mesmo. Achei chato no começo, mas do meio para o fim ficou interessante, vale ler até o fim.
  • Garotinho Malvado – Esse sim é um conto fantástico onde o mal está personificado em um garotinho. Poderia ser mais um caso de bullying, mas os eventos seguintes podem ir longe demais.
Os personagens de cada conto também levam em si as características de criação de Stephen King – são realísticos e ao mesmo tempo caricatos (nem sempre com um equilíbrio perfeito entre esses dois polos). A capa deste livro é lindíssima, a Suma de Letras caprichou e agradeço a cortesia. Para os que esperam um livro de terror, podem se decepcionar, como mencionei o autor trata temas diversos, mas também se aventura no sobrenatural. O livro é de uma ótima qualidade e acredito que não vai decepcionar os que gostam do King ou desejam ler.

lgumas pessoas não gostam de contos, particularmente gosto, pois as vezes estamos na correria do dia-a-dia e lemos um conto, não precisamos pausar a história e demorar a ler novamente. Outro ponto forte é a diversidade deste livro. Depois de ler percebo que King é muito além de mestre do terror, consegue envolver em diversos temas humanos, psicológicos, morais, assuntos considerados polêmicos, e também terror, claro. Adorei me aprofundar em cada um deles.

Não se assustem com o tamanho do livro, pois a leitura flui e as histórias envolvem o leitor. Os detalhes que o autor aborda nos contos, não deixaram a leitura chata, pelo contrário, pois criam um ar de suspense sobre o cenário e o que vai acontecer em seguida. É uma escrita magistral. Alguns contos são maiores que outros, mas a obra toda vale muito a pena ler.

 

 

 

Então é isso amigos, boa leitura, até a próxima e beijinhos…

Resenha do Livro: 3 Coisas Sobre Você

 

ISBN-10: 8580415489
 Título: Três Coisas Sobre você
 Autora: Julie Buxbaum
 Ano: 2016
 Páginas: 288
 Idioma: português
 Editora: Arqueiro
 Gênero: Jovem Adulto, Romance
Sinopse:
Setecentos e trinta e três dias  depois da morte da minha mãe, 45 dias após o meu pai fugir para se encontrar com uma estranha que ele conheceu pela internet, 30 dias depois de a gente se mudar para a Califórnia e apenas sete dias após começar o primeiro ano do ensino médio numa escola nova onde conheço aproximadamente ninguém, chega um e-mail. Deveria ser no mínimo esquisito, uma mensagem anônima aparecer do nada na minha caixa de entrada, assinada com o bizarro nome Alguém Ninguém. Só que nos últimos tempos a minha vida tem estado tão irreconhecível que nada mais parece chocante.
A História:

 

Jessie é uma garota de 16 anos que perdeu a mãe há 733 dias, ganhou uma madrasta há 45 e se mudou há 30 dias para Califórnia, seguindo os passos de seu pai atrás da nova mulher. Ah, faltam 7 dias para o começo do primeiro ano do ensino médio em uma escola totalmente nova. Como se não faltassem novidades, de repente, sem motivo aparente, chega um e-mail anônimo, do Alguém Ninguém, na caixa de entrada de Jessie.

 

O tal Alguém Ninguém se oferece para ser o guia espiritual virtual de Jessie em sua nova jornada no colégio Wood Valley. E, então, começamos o livro com a garota tentando lidar com esse anônimo, sua melhor amiga distante, o filho da madrasta arrogante, uma mansão onde não se sente em casa, garotos ricos diferentes de sua realidade e tudo isso sem uma mãe.

 

 

Opinião:

Uma das coisas mais gostosas na escrita da Julie Buxbaum é que ela fala com leveza sobre temas complexos e dolorosos, as páginas são amarelinhas e o espaçamento e fonte são ótimos.

Além da narrativa leve e reflexiva, da importância dos temas abordados e do amadurecimento de Jessie, adorei a troca de e-mails entre ela e o escritor anônimo.Os e-mails  e mensagens deixaram o livro ainda mais fofo, juvenil e divertido.

Os personagens foram muito bem desenvolvidos, sobretudo a narradora, que, ao longo da trama, nos conquista com seu modo de ser e com suas atitudes.

O livro transmite bem as confusões típicas de um jovem adulto. Confesso que esperava mais emoção e um final um pouco mais elaborado – a autora acabou o capítulo na melhor parte! Contudo, nada tira o charme ou diminui a fofura desse livro. Recomendo para os amantes de histórias jovens, leves e cativantes.

 

Então por hoje é isso, boa leitura e até a próxima, beijos!!!

 

Resenha do Filme: A Viagem de Chihiro

Oi amigos, hoje resolvi trazer para vocês um dos meus filmes preferidos, espero que gostem assim como eu…

Viagem de Chihiro

Autor:Hayo Miyazaki.

Diretor: Hayo Miyazaki.

Exibição Original: 20 de Julho de 2001.

Exibição Brasileira: 2002.

Gênero: Aventura, Fantasia.

 

Sinopse:

” Chihiro é uma garota mimada e voluntariosa, que sê ve numa situação infeliz quando seus pais anunciam a mudança para uma cidade do interior, obrigando-a a abandonar seus amigos e a escola que tanto gostava. Durante a viagem, eles se perdem, e vão parar em outro mundo, o mundo dos deuses. Chihiro agora deverá amadurecer, se quiser salvar seus pais e voltar a ver seu mundo.”___ Fonte: Studio Ghibli Brasil.

 

 

A História:

 O Filme conta a história de uma menininha que viaja com os pais, a família está de mudança, mas ela não se mostra feliz, muito pelo contrário, está zangada e contrariada por ter deixado a casa antiga, de repente o pai se perde e pega um atalho. Admirados com a beleza do lugar, descem do carro para verificar onde estão e mostram-se fascinados com a paisagem. Caminham pelo verde quando encontram um túnel e decidem atravessá-lo.

Assim que atravessam, os pais se distanciam da garota e deslumbram-se com o cheiro, as luzes da cidade e com a abundância de comida exposta. Não resistindo, eles começam a comer, várias vezes foram advertidos pela filha que temia o pior. Ela implora para que eles voltem, mas estão seduzidos demais, fartando-se com guloseimas diversas e apetitosas, expostas em uma espécie de fast food. Chihiro perde-se tentando observar o lugar onde estava.

Quando encontra os pais, eles se transformaram em porcos, animais gordos que se labuzam com os alimentos, então Chihiro se encontra sozinha e tendo a missão de salvar os pais. Com o passar do filme, Chihiro encontra amigos e “inimigos”…

 

Opinião:

Sou suspeita para falar sobre esse filme, marcou a minha infancia; e até hoje sempre que posso revejo.

A viagem de Chihiro é um filme muito singular, capaz de te emocionar com os pequenos detalhes, os personagens do filme são muito bons, todos eles representando algum sentido de vivência, como a salvação, a ganância, a falta de personalidade e afins,  e Chihiro a protagonista é de longe, a que mais evolui durante toda a animação. Outro grande personagem que merece destaque é o Sem Rosto. Ele é um personagem misterioso, que personifica em si mesmo praticamente tudo o que o filme se propõe. É sem forma, sem rosto, sem nome e sem personalidade,

O filme quer passar uma mensagem, a idéia de que você precisa sair da sua zona de conforto pra crescer, e todo o contexto é baseado numa fantasia que é qualquer coisa, menos bonitinha.

Os efeitos de animação, visuais e tudo mais são muito bons, muito bonitos, e pra um filme de 2001 é simplesmente encantador. É tudo muito natural, muito fluido, e não existem trancos ou coisas escrotas na animação. O traço é muito simples, mas mesmo assim é fácil identificar os personagens só de bater os olhos neles. A Trilha Sonora também é bem legal, e tem um ritmo muito com que combina muito bem com os momento em que acontece.

Eu me emociono bastante com o fim desse filme até hoje, e acho que ele pode acrescentar muito na vida de algumas pessoas, desde o significado da lealdade, até o da coragem.

Mesmo se não gostar de animação, cheque, vale demais a pena assistir.

Então é isso meus amigos, beijos e até a próxima!!!

Resenha do jogo: Doom

Oi amigos, hoje estou trazendo para vocês, um recente jogo que acabei de adquirir, Doom.

A trama é simples: assumimos o papel de um lendário fuzileiro de outra época que, ao acordar, se vê em uma base em Marte tomada por demônios, e é forçado a lutar para fechar o portal que liga o mundo deles com o nosso.

O jogo conta com uma ótima jogabilidade.  Há desafios espalhados pelos mapas com arenas e objetivos específicos para ganhar recompensas melhores para os seus equipamentos; as armas contam com dois acessórios distintos que alteram o foco do ataque especial.

E, caso você seja um verdadeiro apaixonado pela série, encontrará aqui referências em todos os lados. Segredos espalhados pelos cenários, monstros remodelados dos games clássicos, fases originais escondidas, trilha sonora e até mesmo o sistema de chaves separadas em cores e caveiras; as ameaças que você encontrará vêm em todo tipo e tamanho, de cientistas possuídos a demônios com o dobro da sua altura. Enquanto as fases iniciais separam bem um do outro, ao ritmo que o jogo avança eles começam a se unir para te destruir.

 

Então é isso amigos, te espero na próxima, beijos!!!