Guia de bolso para escritores iniciantes (A Construção do seu Vilão) #5

lord voldemortMais importante ainda do que ter um bom protagonista no seu enredo é ter um vilão bem construído, bem fechadinho na história. Para que uma história seja boa, o vilão tem que ser marcante, quantas historias com ótimos vilões você consegue pensar? Aposto que você tem uma lista.

Antes de entrar na parte teórica do assunto, eu gostaria de destacar que isso de forma alguma deve ser considerado uma “receita de bolo” para a construção de um vilão, são apenas um copilado de ideias e estudos sobre o assunto. A escrita, assim como toda arte ela não tem certo ou errado, então sinta-se à vontade para aceitar algumas das dicas e ignorar completamente as que não se encaixa na sua temática. Se você parar para pesquisar, vai notar que existem muitos artigos que ajudam a escritores a criarem o seu protagonista, e infelizmente existe uma carência muito grande de artigos que ensinem a fazer um vilão, um antagonista de uma forma legal.

Linha temporal

Assim como existe a jornada do herói, também podemos dizer que existe a jornada do vilão também, para que o seu vilão seja bem construído, primeiramente você deve saber quais são seus objetivos, o porquê de ele querer aquilo. Você deve construir o seu vilão a parte. Ele deve ter um passado, presente e futuro que você conheça com a palma da sua mão.

Dê um motivo para ele ser o vilão

O vilão ele não pode ser alguém ruim apenas porque o autor colocou ele nessa posição, ele deve ter motivos para ser alguém ruim, mesmo que esses motivos só façam sentido para ele. Um erro bem comum de alguns escritores em suas primeiras obras é jogar um vilão na obra sem explicações, como em um estralar de dedos. Eu falo isso com propriedade porque eu também já cometi esse erro no início.

Torne seu vilão humano

O seu vilão, apesar de ser alguém ruim, aos olhos do protagonista, ele é humano, e como humano, ele tem sentimentos, sejam eles ruins ou bons. Não existe um vilão totalmente ruim, assim como não existe um herói totalmente bom, saiba equilibrar bem isso, pois passara uma visão diferente para o leitor. um ótimo exemplo de um vilão que apesar de ser ruim, ainda sim conseguiu ter seus momentos bons é o magneto.

Antagonista.

Saiba diferenciar um Vilão de um Antagonista. O Antagonista em uma história, não necessariamente necessita ser alguém ruim, diferente do vilão. O antagonista às vezes é alguém ruim apenas para o protagonista. Os objetivos do antagonista muitas vezes não chegam a prejudicar ninguém, mas vai de encontro aos do herói. Um ótimo exemplo de Antagonista é o Luke de Percy Jackson, outro exemplo ótimo de Antagonista é a Dolores Umbridge em Harry Potter e a ordem da fênix.  

Torne o seu vilão Imortal

Tornar o vilão imortal é forma de dizer. Vou explicar: Quando falamos em vilões literários, ou cinematográfico instantaneamente vem nomes em sua mente. Na minha vem, Lord Voldemort, Presidente Snow e Coringa. Apesar desses vilões de fato terem sido eliminados, eles são referência de vilões na literatura. Essas referências são criadas por causa da construção marcante que os autores deram a eles.

Espero que esse artigo tenha conseguido te dar uma luz para a construção do seu vilão, e lembre-se, isso não é uma receita de bolo, apenas ideias de coisas que deram certo. Sei que deve estar ansioso para ir logo para o desenvolvimento do seu original, no próximo artigo colocaremos a mão na massa e passaremos para a introdução da escrita.

[Resenha] Eu Amo Meu Chefe | Lysa Moura

Olá pessoas!

Hoje vou falar um pouquinho sobre o livro “Eu Amo Meu Chefe”, da autora Lysa Moura e já adianto que gostei do livro, que foi cedido pela Editora Sonho de Livro. “Eu Amo Meu Chefe” é o segundo livro da  Espero que gostem.



Resultado de imagem para "Eu Amo Meu Chefe" lysa mouraTítulo: Eu Amo Meu Chefe

Autor(a): Lysa Moura

Páginas: 428

Editora: Sonho de Livro

Classificação:Design sem nome (1)

Sinopse: “Beleza? Sempre me ensinaram que devo pensar primeiro em ser inteligente para depois pensar na estética.
Quem eu sou?
Sou Anne Thomas, inteligente até demais, mas em questão de beleza sou um desastre, não que eu seja feia, apenas não sei me arrumar. A verdade é que nunca me importei com isso, até que consegui o emprego dos sonhos, com o chefe dos sonhos.
O problema? 
Meu chefe é um galinha, ele só sai com mulheres super sexy, com o corpo de Barbie.
Aonde me encaixo nisso? Não me encaixo, eu fico apenas de fora o olhando e guardando minha paixão secreta por ele. Pois se ele um dia passar a gostar de mim, vai ter que ser do jeito que eu sou. DESAJEITADA.
Mulheres? Merda, eu as amo. Amo sentir seus corpos debaixo do meu, gosto de ver seus rostos de prazer quando elas se contorcem e pedem por mais.
Se eu me preocupo com beleza? Bem, quem não se preocupa? Não sou exigente, mas querer ter uma bela mulher ao meu lado não é pecado. Até que minha nova e desajeitada assistente chega e vira o meu mundo de cabeça para baixo. Seu jeito ”não ligo para o que pensam de mim” me conquistou totalmente, seus olhos azuis escuros são os olhos mais lindos que já vi.
Se ela é feia? Não. Ela é linda, só não sabe disso.
Agora eu, Henry White estou apaixonado pela minha linda e desajeitada assistente. E o que eu faço sobre isso? Nada, eu não faço nada, apenas a observo de longe e escondo minha pequena paixão.
Quatro anos, quatro longos anos foram o suficiente para Henry saber que o que ele sentia por Anne não vai passar. Então, ele resolve fazer algo sobre isso.”



Bem, Eu Amo Meu Chefe é o livro de dois personagens que apareceram no livro Toma-me da autora Lysa Moura. Aqui somos apresentados ao casal Henry e Anne.

Anne é uma mulher tímida mas bem sucedida , academicamente falando. A protagonista está a procura de um emprego e acaba sendo contratada por Henry, como sua assistente e se apaixona à primeira vista por ele. Henry, por precisar de uma secretária e assistente, contrata Anne mas também se encanta por ela assim que a vê. Continuar lendo