Guia de bolso para escritores iniciantes (Criação de Diálogos) #16

typewriter-726965_1920Tão importante quanto ter um estilo de narrativa definido e fechadinho é saber como criar diálogos de uma forma mais natural é essencial para a veracidade da sua obra.

Vou passar dicas aqui que ninguém me falou e que eu não achei ninguém ensinando ainda. Não sei se posso afirmar que é algo original, mas funciona muito bem para mim, espero te ajudar na construção da sua obra.

Tenha uma base

Uma coisa bem legal que você pode fazer é ter alguém como base para criar a personalidade da fala dos seus personagens. Se inspire em modo de falar de pessoas que você conhece. Eu usei isso no meu primeiro livro de A Sociedade Secreta dos Guardiões. Copiei o modelo de fala de uma ex-namorada pela personalidade desse personagem ser um pouco parecido. Essa dica é muito boa, procure pessoas que você conheça com a personalidade parecida com o seu personagem e imite os vícios linguísticos.

Esqueça das regras

Um erro que eu cometia nos meus primeiros livros era ficar querendo colocar palavras difíceis em vocabulários do dia a dia de personagens. Não faça isso, a não ser que o personagem em questão seja alguém de poder dentro da história. Vamos tirar como exemplo um professor, o vocabulário dele pode ser rebuscado, pelo título dele. Agora vamos mudar o cenário para uma conversa na mesa de jantar, já esse vocabulário rebuscado ficaria bastante inverossímil.

Evite vícios linguísticos

 Sei por experiência própria que isso é bem difícil, e enquanto você tiver trabalhando no rascunho, eu sempre aconselho a não se preocupar muito com isso, pois texto ainda não passou pelo processo de revisão, mas não esqueça de mudar as formas de anunciar. Por exemplo:

— O que você quis dizer? — perguntou Beatriz.

— Nada, você está maluca? — indagou Lucas agora com um olhar enigmático.

Variar essas formas durante os diálogos dá uma fluidez maior ao seu texto. Eu não vou entrar em detalhes ainda nesse assunto porque falarei disso no capítulo especial onde desvendarei os mistérios do processo de revisão e remontagem de um original.

Quebra de padrões

Quando o assunto é uma obra, você sabe muito bem que não existe uma regra, e você pode acabar encontrando algumas variações de livro para livro, mas não significa que a forma da pessoa ter feito está errada, ou a sua forma está errada. Uma das coisas que me assustou no início da minha jornada, foi quando eu peguei um livro que estava assim:

“Isso terá que ser remarcado” disse o quadro de uma vez.

 O coração do Primeiro Ministro parou. Ele estava apavorado com aquilo.

 “Mas eu realmente estava de preferência esperando falar…”

 “Que tal arranjarmos que o Presidente esqueça de telefonar? Ele ligará amanhã a noite ao invés de hoje.” disse o pequeno homem “Gentilmente responda imediatamente para o Sr. Fudge.”

 “Eu…ah…muito bem.” Disse o Primeiro Ministro fragilmente. “Sim. Eu verei Fudge.”

(Trecho do Livro Harry Potter e o Enigma do Príncipe, autora J.K.Rowling)

Os diálogos tinham “” ao invés de — e isso na época me intrigou muito, mas isso varia muito da forma que você gosta de trabalhar, se você se sentir à vontade para trabalhar com “” vá em frente.

Como colocar um travessão

Eu admito que para aprender a colocar o travessão no Word demorou muito tempo, e caso você esteja tendo a mesma dificuldade que eu tive, vou te dar uma luz. Para adicionar um travessão no Word você pode apertar as seguintes teclas em conjunto. Ctrl + Alt mais o sinal de – no teclado numérico, assim formando um — Instantaneamente.

Especificação de diálogo

Diálogo entre duas pessoas:

É muito importante que você saiba a hora certa de informar quem está falando certa fala, e quando não é necessário. Se o seu personagem está tendo uma conversa entre um amigo, esse diálogo pode ocorrer da seguinte forma:

— Você viu qual são os filmes em cartaz? — perguntou Iago.

— Só tem filme de crianças — respondeu Brenda — Eu queria ver um filme de terror.

— Para depois você ter pesadelos e dormir no quarto da mamãe? Não me parece boa ideia.

— Cala a boca seu idiota.

Note que após eu indicar quem estava falando, nos próximos diálogos a necessidade da anunciação não foi mais necessária, pois o leitor já compreendeu.

Agora vamos ver como seria se tivesse mais de duas pessoas em um diálogo.

Diálogo entre três pessoas:

— Larissa, você fez lição de casa? — perguntou Lucas — É que eu esqueci de fazer a minha.

— Não vem — começou Larissa — Eu passei à noite fazendo essa lição, você não vai copiar…

— Passou à noite fazendo? — Interrompeu Priscila — Até parece, eu te vi copiando da internet quando estávamos na sala de informática.

— Se você contar para alguém eu te mato!

Assim que o leitor conseguiu compreender a situação, eu já não precisei indicar quem estava falando, por exemplo: no ultimo diálogo, não precisei dizer que era a Larissa que estava falando, e mesmo assim o leitor compreendeu. Um erro comum de quem está começando e ou não indicar quem está conversando ou indicar demais. Se coloque no lugar do leitor, o excesso deixa o texto saturado e a falta de indicação, dificulta a compreensão do leitor.

Essas foram algumas das dicas que tinha para passar para vocês, sei que esse artigo ficou bem longo, mas era extremamente importante nós comentarmos sobre isso para avançar no nosso guia. Espero que as dicas tenham fornecido uma luz nessa sua jornada no mundo da escrita.

[Resenha do Filme] Alien: Covenant (2017)

AlienPosterTítulo Original: Alien: Covenant

Gênero: Ficção cientifica, terror.

Lançamento: 11/05/17

Tempo de Duração: 123 min.

Nota IMDb: 6,6

Sinopse: 

Viajando pela galáxia, a nave colonizadora Covenant tem por objetivo chegar ao planeta Origae-6, bem distante da Terra. Um acidente cósmico antes de chegar ao seu destino faz com que Walter, o andróide a bordo da espaçonave, seja obrigado a despertar os 17 tripulantes da missão. Logo Oram precisa assumir o posto de capitão, devido a um acidente ocorrido no momento em que todos são despertos. Em meio aos necessários consertos, eles descobrem que nas proximidades há um planeta desconhecido, que abrigaria as condições necessárias para abrigar vida humana. Oram e sua equipe decidem ir ao local para investigá-lo, considerando até mesmo a possibilidade de deixar de lado a viagem até Origae-6 e se estabelecer por lá. Só que, ao chegar, eles rapidamente descobrem que o planeta abriga seres mortais.

Trailer:

Opinião:

Depois do terror do Life, eu fiquei com pé atrás com esse lançamento, e para minha sorte, o filme conseguiu me fazer gostar novamente de filmes do gênero. O longa conseguiu trazer o terror de uma forma não muito apelativa, com uma trilha sonora bem apropriada e com elementos que conseguiram implantar o terror e vários Jumpscares de fazer o coração pular fora do peito. Esse filme para minha surpresa é do tipo “Herói trágico” o que me deixou bastante surpreso.

A visão visionaria sobre o futuro também me agradou bastante, pois não fugiu tanto da nossa realidade, mas sim conseguindo trazer uma visão futurística e até mesmo assustadora do que pode ser nosso futuro.

A nota que o longa ganhou no IMDb de 6,6, uma nota que na minha opinião representa muito bem esse filme, é bastante recomendado para aqueles que querem um filme de terror, mas não naquele nível de arrancar os cabelos da cabeça.

[Indicação do Wattpad] Livros de Fantasia

Olá pessoas!

Sei que listas são uma especialidade da Thaís, mas hoje trouxe para vocês um lista – bem grande – de livros de fantasia que vocês podem encontrar no Wattpad. Então, peguem papel e caneta e preparem as mãos, a lista está grandinha!



Triton |  Kathy Seraph

TritonMestiço e de pele albina, sempre fui rejeitado e humilhado pelo povo durante toda a minha vida por ser diferente.
Meu maior desejo era ser amado, mas nunca havia experimentado o real sentimento até o dia em que conheci Aiken, o novo Rei dos Mares, que em um momento inusitado me estendeu a mão.
Desde então me vi envolvido em sensações inexplicáveis diante de Aiken, em um mundo repleto de regras e preconceitos.
Os segredos sobre minha origem e as batalhas que enfrentarei estão só no começo e meu verdadeiro obstáculo está oculto nas águas. Continuar lendo

[Lançamento] Árion – O Reflexo de Um Outro Mundo | Pablo Madeira

Olá pessoas!

Hoje trouxe uma novidade para vocês, a editora Xeque-Mate está lançando um novo livro, Árion, do autor Pablo Madeira. Espero que gostem!



Árion

Sinopse:

Durante uma invasão noturna em uma velha casa, que muitos julgavam assombrada, Laura acaba descobrindo que um antigo espelho é um portal para um mundo mágico, chamado Árion. Por acidente, a jovem acaba sendo levada para esse mundo na companhia do seu melhor amigo e do ex-namorado. Porém, os problemas estavam apenas começando. Árion está em guerra e a chegada dos jovens é a prova de que uma antiga profecia é real, que existem outros mundos e, com isso, o desejo das forças das trevas de dominarem a Terra aumenta cada vez mais. Agora, a jovem e os amigos precisam descobrir uma forma de voltar para casa antes que seja tarde. Uma história fantástica, cheia de descobertas e reviravoltas aguarda o leitor. Continuar lendo

Resenha do Livro: O Que Há de Estranho em Mim

Título: O Que Há De Estranho Em Mim
Autor: Gayle Forman
Editora: Arqueiro
Número de Páginas:  224
Ano de Publicação: 2016

 

Sinopse: 

Ao internar a filha numa clínica, o pai de Brit acredita que está ajudando a menina, mas a verdade é que o lugar só lhe faz mal. Aos 16 anos, ela se vê diante de um duvidoso método de terapia, que inclui xingar as outras jovens e dedurar as infrações alheias para ganhar a liberdade.

Sem saber em quem confiar e determinada a não cooperar com os conselheiros, Brit se isola. Mas não fica sozinha por muito tempo. Logo outras garotas se unem a ela na resistência àquele modo de vida hostil. V, Bebe, Martha e Cassie se tornam seu oásis em meio ao deserto de opressão.

Juntas, as cinco amigas vão em busca de uma forma de desafiar o sistema, mostrar ao mundo que não têm nada de desajustadas e dar fim ao suplício de viver numa instituição que as enlouquece.

 

 

A História:

Este livro traz a história, narrada em primeira pessoa, de Brit, uma jovem de 16 anos integrante de uma banda chamada Clod que é absolutamente independente para sua idade, tem uma alto-estima elevada, mas por ter uma mãe esquizofrênica e que sumiu do mapa, o pai de Brit – já casado com outra mulher – temendo que a filha apresente os mesmos problemas psicológicos que a mãe a interna numa ‘escola’, ou melhor, clínica chamada Red Rock que promete reabilitá-la.

Nesse meio tempo, Brit tenta se rebelar contra o sistema da Red Rock, mas é punida e fica solitária a maior parte do tempo até conhecer outras internas: V, Martha, Bebe e Cassie que se tornam um pouco de sanidade no meio de tanta loucura. Juntas, as cinco vão tentar denunciar o que realmente acontece em Red Rock para a sociedade.

Fora do reformatório, Brit só podia contar com seus parceiros de banda, Erik, Denise e Jed (que ela nutria um carinho especial por ele). Sua mãe sumiu e o pai resolveu interná-la, praticamente abandonando-a. E é nesse inferno que Gayle Forman nos presenteia com uma história de superação, amizade com uma pitada de realidade.

 

 

Opinião:

 

Quando adquiri esse livro, imaginava que viria uma história tensa, devido à capa, onde mostra uma jovem sentada em uma cadeira, como se tivesse sido punida. Li os dois primeiros capítulos e já entrei em desespero: sabia que viria violência. Bom, eu gosto de  livros e filmes onde os personagens lutam, morrem e etc. Mas não suporto cenas de estupro e tortura.

Esse livro me proporcionou uma leitura rápida e fluida, envolvente e intensa, considerando-se que estamos a todo momento em contato com as emoções de Brit, principalmente, já que ela é a narradora protagonista da história. Toda a injustiça e revolta sentidas apenas alimentam a ânsia do leitor em conhecer o desfecho, torcendo pelo final justo e feliz das garotas. O foco real do livro é abordar a esquizofrenia, o bulling, as relações familiares, a amizade.

Gostei da maneira de como a autora abordou as temáticas encontradas, em como deu voz a milhões de jovens incompreendidos e que, acima de tudo, precisam de ajuda e amor.

Por fim, me sinto na obrigação de recomendar essa história maravilhosa, com personagens que podemos nos identificar com alguma delas e torcer para que elas terminem bem.

 

 

 

Então é isso galerinha! Até a próxima e boa leitura! Beijinhos!

Guia de bolso para escritores iniciantes (A Insegurança e a Auto Sabotagem) #15

typewriter-726965_1920Se você já escreve a algum tempo, ou se está começando agora, com certeza ou você já passou por isso, ou ainda passará. A pergunta é: como se livrar da insegurança e a “auto sabotagem”?

Primeiro vamos entender uma coisa. A auto sabotagem ela ocorre pelo excesso de insegurança, então um não existe sem o outro. A algum tempo atrás eu comecei a estudar Hipnose Clínica, e acabei aprendendo algumas coisas sobre isso, e como sempre, voltado para nosso assunto central, a escrita.

A insegurança é algo comum, e mesmo o autor mais experiente às vezes olha para sua obra e pensa. “Nossa, isso está um terror”. Eu passei por isso no final do meu primeiro livro de A Sociedade Secreta dos Guardiões, e eu não sabia na época, mas eu estava me auto sabotando por conta da insegurança.

O que é a auto sabotagem

Na hipnose nós estudamos o modelo da mente segundo Gerald Kein. A mente ela é dividida em três partes. A primeira parte é o Inconsciente, que se baseia nas necessidades básicas, que é respirar, batimentos do coração e outras coisas que fazem o corpo humano trabalhar. Segunda parte, o subconsciente, onde está nossas memórias de longo prazo, medos, gostos, hábitos, inseguranças e nossa estabilidade emocional. A terceira parte é nosso consciente, onde está nosso raciocínio, nossa força de vontade, nossa parte analítica e memórias de curto prazo.

A insegurança geralmente carrega consigo pensamentos negativos, esses pensamentos negativos se penetram no nosso subconsciente como uma sugestão, assim criando uma auto sabotagem.

Se você sempre tiver pensamentos como “Meu livro está uma porcaria” “ninguém gosta do meu livro” “será que meu livro é bom mesmo? ” Esses pensamentos se instalam no seu subconsciente e você pode começar a ter dificuldade para criar, ou ter um bloqueio criativo que levará meses para ser quebrado, porque seu subconsciente está te auto sabotando, isso claramente não é de propósito, mas ocorre.

Como se livrar desses fatores limitantes

Acredite em você mesmo. Primeiro olhe para o seu livro e se pergunte: “Estou satisfeito com o resultado final?” Se você tiver satisfeito com resultado, é o que importa. Claro que sua obra vai ser analisada pelos betas, você tem que ter ciência que sua obra pode passar por mudanças para ficar ainda melhor, mas confiança, se você acredita em sua obra, isso é o que realmente vale.

Não compare o seu livro com outros. Sei por experiência própria que muitas vezes não comparar é algo bem difícil, mas existem livros e livros, o seu livro é único, não tem que ser comparado com obra de autor x ou autor y.

Uma das coisas que mais me desmotivou quando decidi publicar meu livro foi a escolha de Leitores Beta. Vou passar uma dica para vocês que pode poupar tanto tempo de vocês como ainda vai ajudar quebrar a auto sabotagem. NUNCA ESCOLHA UM AMIGO OU PARENTE COMO BETA READER!!! (Isso pode acabar até com amizades). Por que eu digo isso? Às vezes aquele seu amigo, ou parente ainda não te enxerga como um escritor. Então ele talvez pegue o seu livro apenas porque você pediu, aí deixará engavetado. E com certeza isso vai te deixar triste e desmotivado para continuar escrevendo. Não escolha leitores betas, deixe que os betas te escolham, pois assim você terá certeza que a pessoa terá um comprometimento maior, pois a pessoa quem se voluntariou.

Elimine os pensamentos negativos

Todas às vezes que pensamentos limitantes invadirem sua mente, se policie, não se permita se auto sabotar, você pode lutar contra. Pode ter certeza que após seguir essas dicas, você vai notar como seu texto vai fluir melhor. Eu consegui quebrar meus bloqueios criativos graças a essas dicas que passei para você.

Espero que essas informações sejam importantes e consiga ajudar todas as pessoas que talvez esteja passando por isso no momento.

 

Guia de bolso para escritores iniciantes (Criação de Trilogias e Sagas) #14

5e48dc8f78b6bc6351533358ec3d0bbfComo eu já comentei aqui uma vez, um dos motivos pelo qual eu embarquei no mundo da escrita foi por causa de Harry Potter. Não tenho certeza se é exatamente por isso, mas eu sempre fui fascinado por livros com sequências, desde de a primeira história que construí até essa última, todos foram feitos para serem sequências, o primeiro com quatro livros e agora A Sociedade Secreta dos Guardiões que é uma trilogia. Então resolvi hoje falar um pouco sobre técnicas para trabalhar com livros em sequência, técnicas que eu aprendi muitas estudando, e outras que aprendi errando.

Tenha uma boa história

Ter um bom enredo é o primeiro passo para começar a criar essa sua saga ou sua trilogia. Análise bem essa história, pois você provavelmente vai passar uns bons anos trabalhando com os mesmos personagens. Então além de ter um bom enredo, você tem que gostar muito do que vai escrever.

Se organize

Se você pretende trabalhar em uma história com mais de dois livros, é comum que ideias que você tenha colocado no livro um sejam esquecidas no futuro. Para que você não acabe entrando em conflito ou deixando alguma ponta solta, tenha tudo muito bem organizado e anotado em uma agenda ou bloco de notas, assim você poupará muito tempo caçando esses erros posteriormente.

Esteja sempre evoluindo

Tenha em mente que criar livros que tem sequências é algo bem trabalhoso. O livro dois sempre tem que ser melhor que o um, e assim por diante. Tenha em mente que você sempre vai estar em constante evolução, pois se você cometer um deslize em um dos livros, a série inteira será prejudicada, assim como em um efeito dominó.

O Que Harry Potter pode nos ensinar?

Aposto que muitos de vocês aqui é Potterhead (assim como eu) ou já leu algum livro de Harry Potter. Se você parar para analisar o universo de Harry Potter, você vai notar que a J.K.Rowling não economizou tempo ou criatividade na escrita. Existem fãs da saga que gastam horas estudando sobre o universo, sobre a biografia dos personagens. Tem vários artigos que a J.K.Rowling postou no Pottermore que ela criou e não havia publicado nos livros. Se inspire nisso, crie um universo que possibilite que um dia alguém dedique horas estudando.

Conflitos

Crie conflitos na sua trama que você já sabe como irá se resolver. Conflitos são os problemas por qual o seu personagem principal vai passar. Um dos erros que cometi na minha primeira saga de livros foi encher o livro de conflitos que nem imaginava como poderia ser resolvido, isso meio que criou um beco sem saída. Isso é bem comum acontecer, então bastante cuidado com isso.

Conflitos entre abertos

Crie ligações entre as sequências, assim o seu leitor vai se ver obrigado a ler o próximo livro para saber o que ocorrerá. A melhor maneira de se fazer isso é deixando conflitos entre abertos, problemas ou enigmas que não são resolvidos no livro. Mas bastante cuidado para não esquecer desses conflitos. Nunca deixe pontas soltas na sua história.

Evite o Gerador de Soluções.

Deus Ex Machina é uma expressão usada no mundo literário quando algo muito improvável e fora de contexto acontece para resolver o problema do protagonista ou para encaminhar a história para um rumo. Eu gosto de chamar esse fenômeno de Gerador de Soluções, porque é o que ele faz.

Vamos supor que você está lendo o livro que se passa na segunda guerra. Está acontecendo um ataque e tem vários soldados cruzando um enorme lago. Esses soldados sempre andam em dupla, para um ajudar o outro. Ai o companheiro do protagonista leva um tiro na perna, e ele deixa o companheiro dele lá, ao invés de ajudá-lo. Ai o companheiro dele volta no futuro como um membro do exército rival.

Isso seria um Deus Ex Machina. Aí você me pergunta o porquê. Primeiro porque seria bem improvável um soldado abandonar o seu companheiro, se vocês já leram livros ou viram filmes de guerra, vocês sabem muito bem disso. Segundo ponto é que eles estavam na água. Mesmo que o soldado protagonista tivesse que carregar o seu companheiro, o peso dele seria bem mais leve. Mas por que esse autor fictício da nossa história deixou que isso acontecesse? Para que o companheiro dele voltasse como inimigo.

Não que fazer isso seja errado, mas se for usar o gerador de soluções, faça isso de uma forma que o seu leitor não se sinta traído ou passado a perna pelo autor.

Tire um intervalo

Tire um intervalo entre um livro e outro. Essa dica é extremamente importante. Nem sempre nós temos um roteiro já montado para todos os livros. Ficar um tempo longe da sua obra para depois voltar a escrevê-la é uma dica de ouro. Eu dou essa dica com propriedade, pois eu havia cometido o erro de começar a escrever o segundo livro da minha trilogia depois de alguns dias que terminei o primeiro. Mas por uma força maior, eu acabei dando um intervalo de um ano até começar a escrever o segundo livro. Quando peguei o livro para escrever novamente, as ideias para ele já estavam bem mais formadas e desenvolvidas na minha mente, prontas para ser jogadas no papel. Dê um tempo para sua criatividade trabalhar.

Desenvolva seus personagens

Em uma série ou trilogia, seu personagem tem que evoluir bem mais lentamente do que em um livro single. Você tem que tomar o máximo de cuidado para não tornar essa evolução tão rápida ou tão lenta. Definir o que será evoluído em cada livro é um conselho bem válido.

Espero que essas dicas sejam úteis, não sei se esqueci alguma coisa, mas caso eu tenha esquecido, comentem aí que posso fazer um segundo capítulo com esse tópico. Essas dicas todas funcionam muito bem para mim e eu espero que te ajude também.