[Resenha do Filme] A Vigilante do Amanhã (2017)

ghost_in_the_shell-446755661-largeTítulo Original: Ghost in the Shell

Gênero: Ação, ficção, Suspense.

Lançamento: 30/03/17

Tempo de Duração: 97 min.

Nota IMDb: 6,6

 

Sinopse:

Em um mundo pós-2029, é bastante comum o aperfeiçoamento do corpo humano a partir de inserções tecnológicas. O ápice desta evolução é a Major Mira Killian, que teve seu cérebro transplantado para um corpo inteiramente construído pela Hanka Corporation. Considerada o futuro da empresa, Major logo é inserida no Section 9, um departamento da polícia local. Lá ela passa a combater o crime, sob o comando de Aramaki e tendo Batou como parceiro. Só que, em meio à investigação sobre o assassinato de executivos da Hanka, ela começa a perceber certas falhas em sua programação que a fazem ter vislumbres do passado quando era inteiramente humana.

Trailer:

Opinião:

O Filme faz uma representação impressionante do futuro. Assistindo ao filme, você realmente se sente imerso ao universo construído. A Scarlett Johansson conseguiu dar vida a Major (a protagonista do filme) de uma forma sem igual. O roteiro do filme é meio falho em vários aspectos, mas contar uma história dessas em apenas uma hora e cinquenta dificultou bastante para um resultado final.

O longa é recheado de ação e cenas de tirar o folego, com efeitos especiais muito bem produzidos. Sem dúvidas um dos melhores filmes que representa o futuro. Sendo o humano uma junção de partes humanas fundidas com robôs, algumas das coisas apresentadas no filme são até mesmo absurdas, mesmo sendo apenas uma ficção, mas isso pode ser relevado.

O filme provavelmente atenderá a maioria, até mesmo os mais exigentes. Uma coisa a ressaltar sobre esse longa é seu sistema de som. Trazendo consigo a tecnologia de ponta de sistema de som, Dolby Atmos, um áudio totalmente em 360º traz uma total imersão ao universo criado. Ganhando uma nota justa no IMdb de 6,6, com certeza “Ghost in the Shell” é um dos melhores filmes de 2017.

Anúncios