Entrevista_ Rafaela Alves

Olá pessoas! Hoje eu trouxe para vocês uma entrevista com a autora de “A Voz Que Vem do Coração”, Rafaela Alves. Espero que gostem!

Fale um pouco de você.

Eu sempre empaco nessa pergunta. kkk Porque será que é tão difícil falar sobre nós? Fico dividida entre falar da Rafaela como pessoa ou como escritora. Bom, eu tenho 20 anos, sou formada em Análises Clínicas ( Sim muito diferente. Não, não faço letras. E sim, eu amo a área da saúde. ) Eu acho que no quesito sentimentos, a Rafa como pessoa e a Rafa escritorarafaela-alves-128-670125 ficam juntas. Pois eu sinto as coisas tão intensamente quanto escrevo. Vivo tudo como uma cena de livro. Gosto de pessoas sinceras, gosto de sorrir. Acredito que o mundo é um lugar mágico. Já fui chamada de romântica sonhadora e a garota que cria mundos mágicos… Sei tocar um pouco de piano, amo cantar sozinha, e odeio cantar em público. Mas já cantei em público duas vezes, para mais de 400 pessoas. Vai entender! Eu nunca disse que era normal.

O que mais gosta de fazer?

Se eu falar escrever será que vai ficar muito clichê? KKKK Porque o que eu mais gosto de fazer quando estou escrevendo é fugir do clichê. Criar algo único. Romances? Nossa existem de sobra por aí. O que diferencia uma história da outra é como ela é contada. O que faz essa história se tornar especial. Então acho que o que eu mais gosto de fazer, é sair do clichê. Criar algo meu, algo que me diferencie de todo mundo, algo que carregue minha essência. Então, por mais clichê que seja minha resposta… Escrever nunca deixará de ser meu hobby preferido.

O que te levou a escrever?

Eu sou bem tímida. Então quando fiz 14 anos comecei a passar tudo o que eu sentia em diários… E fui percebendo que as páginas dos meus diários mais se pareciam com textos do que descrições diárias. Fui me apaixonando por palavras. Minha mãe que me deu a ideia de escrever um livro quando diz 16 anos. E eu sou grata a ela todos os dias. Ela literalmente, mudou a minha vida. Fez com que eu me encontrasse profissionalmente, e me encontrasse também. Eu sempre aprendo muito com minhas histórias, elas sempre tiram um pouco de mim, e deixam um pouco delas.

O que te inspirou a escrever A Voz Que Vem do Coração?

A minha linda mania de querer quebrar regras e fugir do clichê. Eu queria um livro com final triste e emocionante. E isso tem de sobras por aí. Personagens que morrem sem motivo, um casal que não fica junto… Eu queria algo que fosse único, especial. Que deixasse uma mensagem e conselhos para a própria vida de quem lesse a história. E foi aí que eu tive um sonho. A partir desse sonho eu sabia exatamente o que fazer para deixar minha história especial.

Você teve influência de algum escritor?

Bom, eu sempre li diversos autores. Uma autora que me marcou muito foi a Colleen Houck. Mas eu a amo como fã, como uma leitora. Tive a oportunidade de conhecê-la e dar meu livro de presente á ela. Mas influência acho não. Ela me inspirou muito, mas o fato que eu comecei a escrever, meu estilo de escrita, foi algo que eu construí somente meu. Eu mesma, com meus sonhos e determinação… Que fui me tornando minha própria influência. Eu pensava em mim no futuro, e eu queria ser aquela pessoa que eu imaginava, então eu lutei por isso. Ainda estou lutando.

Suas personagens e histórias são inspirados em pessoas ou fatos reais?

Não. Eu não misturo minha vida pessoal com as minhas histórias. São todos únicos, cada personagem. Bom, eles acabam pegando um pouco da gente claro. Seja em uma música favorita, cor do cabelo, algum sonho.. Mas jamais na minha história, ou de alguém que conheço. Meus personagens são todos únicos, existem na minha mente, e cada um tem um jeito de ser. Completamente imaginários.

Qual seu livro e autor favorito?

Tenho dois livros, de duas autoras preferidas. “A viagem do tigre (3)” da Colleen Houk. E “Indendeia-me (3)” da Tahere Mafi.  Mas também sou apaixonada pela Carina Rissi.

Você já se arrependeu de ter lido algum livro?

Nunca me arrependi. Já aconteceu de uma história não me prender muito, e eu infelizmente a abandonar. Mas jamais me arrependi.

Qual o livro mais marcante que já leu até hoje ?

O meu. hahah Sou suspeita, muitos vão acreditar que estou puxando saco de mim mesma. Mas é a verdade. Nenhum livro me marcou tanto quanto foi o processo de escrita, e de leitura do A voz que vem do coração. Ele tem algo especial que não sei explicar. Ele é um livro que me marcou, que é como se fosse real pra mim.

Enquanto escreve a história você costuma pedir a opinião de alguém? Se sim, de quem e por quê?

Peço muito a opinião das minhas leitoras e betas. Mas as pessoas que eu sempre recorro quando estou em dúvida é minha mãe e minha prima. Quando me perco, elas fazem eu voltar para os trilhos.

Você costuma colocar características suas nos personagens?

Eu não costumo. Escrevo descrevendo a personagem como ela chegou pra mim. Mas aí quando vou ver, ela acaba pegando algo meu. Mesmo que seja um pensamento sobre algo. Sempre pega algo da gente.

Você gosta das críticas deixadas, por leitores, em comentários de seus livros?

Eu amo! Sejam boas ou ruins, principalmente ruins. Porque isso me faz forte. Me faz querer sempre cobrar o meu melhor. E isso sempre me ajuda a perceber se estou no caminho certo da história, se eles estão gostando, o que está perfeito, o que preciso melhorar… Eles são parte fundamentais da minha vida.

Alguma vez você aprendeu algo com uma crítica? Se aprendeu, isso mudou seu jeito de escrever?

Sim. Uma vez, bem no início da minha carreira, eu tinha 16 anos. Eu não tinha publicado nada ainda, nem imaginava que um dia fosse publicar. E eu postei um trechinho do meu primeiro livro. E uma mulher disse “Você deveria desistir. É uma péssima escritora, não tem futuro nenhum pela frente.” Eu fiquei bem abalada. E muitos desistiriam. Muitos acreditariam não ser capazes. Mas tudo o que eu fiz foi querer provar pra essa mulher que ela estava errada. Que eu podia vencer, poderia melhorar… E bom, eu me esforcei, melhorei. Conquistei muitos leitores. Eu queria ver ela agora. Dizer que antes de julgar alguém, temos que usar as palavras certas. As palavras dela foram duras e desmotivadoras. Mas isso me marcou, e eu provei pra ela, mesmo que a mesma não saiba. Que eu sou ótima e sou capaz de vencer.

Quais são seus maiores desafios como escritor?

Eu sou bem detalhista. Sempre me cobro bastante. Um dos desafios é o preconceito que ainda se tem. Algumas pessoas são bem negativas quanto a literatura nacional. Lidar com bloqueios, críticas desmotivadoras, ás vezes luta para ter o reconhecimento… Isso tudo são fatores de desafios, que temos que saber e lutar para vencer cada um.

Gostaria de deixar algum recado aos leitores?

Gostaria de mandar um beijo para todos, seja os que me acompanham no wattpad, em redes sociais, youtube, instagram… Vocês deixam meus dias mais bonitos, sou muito grata por tudo que fazem por mim. Ocupam um pedaço enorme do meu coração! Amo vocês!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s